Feugiat nulla facilisis at vero eros et curt accumsan et iusto odio dignissim qui blandit praesent luptatum zzril.
+ (123) 1800-453-1546
info@example.com

Related Posts

Blog

Depressão

Considerada o “mal do século” pela Organização Mundial da Saúde, a depressão ainda é um desafio para profissionais de saúde e pacientes.

 A Depressão é uma perturbação do humor comum, porém grave. A depressão provoca sentimentos de tristeza e/ou perda de interesse em atividades que em momentos anteriores traziam prazer.

Esta perturbação pode levar a uma variedade de problemas emocionais e físicos, além de diminuir a capacidade de uma pessoa manter as suas atividades normais no trabalho e em casa.

Os sintomas de depressão afetam a maneira como a pessoa se sente, pensa e lida com atividades diárias, como dormir, comer ou trabalhar, e devem estar presentes, pelo menos, durante duas semanas para que seja feito o diagnóstico.

A depressão pode afetar qualquer pessoa, até mesmo quem parece viver em circunstâncias relativamente ideais. Aquela ideia comum de que só terá depressão quem já é triste está incorreta.

A adolescência é uma fase de mudanças importantes. A baixa autoestima, os conflitos familiares, o fracasso escolar, as perdas afetivas são sintomas que, associados às condições de stress emocional, podem colocar os jovens em risco para a depressão. Por isso, é muito importante que os pais estejam atentos.

Depressão não é tristeza

A morte de um ente querido, a perda de um emprego ou o fim de um relacionamento são experiências difíceis. Assim, é normal que sentimentos de tristeza se desenvolvam como resposta a tais situações. Contudo ficar triste não é o mesmo que ter depressão. As experiências difíceis podem partilhar alguns dos sintomas de depressão, mas são diferentes em alguns aspetos importantes:

  • Nas experiências difíceis, os sentimentos dolorosos não são constantes e vêm muitas vezes misturados com lembranças.
  • Na depressão, o humor e/ou interesse (prazer) diminuem durante a maior parte do tempo.
  • Nas experiências difíceis, a autoestima é geralmente mantida. Na depressão, os sentimentos de inutilidade e auto-rejeição são comuns.

Sintomas de depressão 

Sinais e sintomas que estão presentes a maior parte do dia, quase todos os dias, durante pelo menos duas semanas, podem indicar a presença de depressão:

  1. Humor triste, ansioso ou “vazio” persistente.
  2. Sentimentos de desesperança ou pessimismo.
  3. Irritabilidade.
  4. Sentimentos de culpa, desvalorização, inutilidade ou desamparo.
  5. Perda de interesse ou prazer pela vida, hobbies e atividades.
  6. Diminuição da energia ou fadiga.
  7. Sentir-se agitado ou lento.
  8. Dificuldade de concentração, memória ou tomar de decisões.
  9. Dificuldade para dormir, acordar de manhã ou dormir demais.
  10. Alteração do apetite e/ou alterações de peso.
  11. Pensamentos recorrentes de morte ou suicídio, ou tentativas de suicídio.

Contudo, nem todas as pessoas que estão deprimidas têm todos os sintomas. Há pessoas que apenas têm alguns sintomas, outras podem experimentar muitos. Assim, a gravidade, a frequência dos sintomas e o tempo que eles duram, variam de pessoa para pessoa.

Tratamentos para os sintomas de depressão

A depressão, mesmo nos casos mais graves, pode ser tratada. Quanto mais cedo começar o tratamento, mais eficaz ele será. A depressão é geralmente tratada com medicamentos, psicoterapia ou uma combinação dos dois.

Antes de um diagnóstico ou tratamento, um psicólogo ou médico psiquiatra deverá realizar uma avaliação diagnóstica completa.

Como prevenir a depressão?

  • Fique atento ao excesso de trabalho. Enquanto permanecer ocupado não é um problema, ter demasiadas atividades, pode ser.
  • O stress é um fator de risco para a depressão. Além disso, experiências stressantes podem tornar os sintomas de ansiedade e depressão ainda mais graves.
  • Exercite-se regularmente. Sabe qual é uma das melhores maneiras de prevenir a depressão? A prática de exercício físico.
  • Mantenha boas relações sociais.  Estas podem melhorar sua saúde mental e ajudá-lo a viver mais tempo, significa sair do sofá e sair de casa. Assim, tal interação ajuda-nos a lidar melhor com o stress.
  • Evite álcool e drogas. O álcool e as drogas interferem no funcionamento do nosso cérebro e prejudicam a nossa saúde mental.
  • Mantenha uma atitude positiva. Uma atitude positiva traz muitos benefícios em termos de saúde, felicidade, satisfação com vida e na forma como nos relacionamos com os outros.
No Comments
Post a Comment
Name
E-mail
Website